Um outro ângulo

Per Emanuelsson e Bastian Bischoff são dois estudantes da Escola de Gotemburgo de Design e Artes, na Suécia. Eles conseguiram criar um mobiliário com base numa cruz, que vai completamente de encontro aquilo que, num primeiro olhar, imagina-se ao nos depararmos com um dos principais (e terríveis!) meios de condenação à morte de toda história.

Numa perspectiva religiosa cristã, poder "descansar" sobre a cruz é algo realmente ambíguo. Por mais que não tenha sido este o conceito trabalhado pelos dois designers, confesso que o primeiro pensamente que me veio a mente foi que de fato, a cruz de Cristo é motivo de descanso aos batizados, já que nela Nosso Senhor se deu para que nossos pecados fossem perdoados e, assim, possamos alcançar a salvação. Contra - argumentos? Lógico! Todo cristão tem também sua cruz a carregar e o demônio a enfrentar constantemente, mas essa primeira ideia de fato me chamou atenção.

De qualquer forma, ainda numa perspectiva cristã, fica em aberto se tal projeto não traria uma espécie de ideia sacrílega, que diminuiria o valor simbólico da cruz ou uma mensagem baseada em minha primeira impressão, onde a cruz de Cristo é sinal de descanso e paz àqueles que nEle são fiéis.

Enfim, comentem e dêem suas opniões!
Ahhh...mas ficou bonito né?

4 comentários:

Isabella disse...

Diferente e polêmico, Pablito ;)

Pablo Neves disse...

ahh...mas eu queria uma dessa em casa!

Anônimo disse...

Nossa! Fiquei estarresido aprimeira vista! A cruz tem um valor pessoal muito grande para mim por conta da minha religião - também sou católico, só para esclarecer. Achei essa proposta ousada e diferente, e me despindo de todos os valores que a religião tem em mim incorporado, em relação a cruz, posso dizer que eles foram felizesem tentar atribuir ou incorporar um novo significado a esse simbolo. Esse trabalho até me despertou a ver que a cruz tem potêncial grande para aplicações em diversos outros tipos de trabalhos que não somente com finalidade religiosa. Porém reconheço que não da para jogar fora todo esse potêncial simbólico incorporado que temos em relação a cruz, aplicá-lo em algum trabalho, sem causar um pouco de polêmica.

souserei disse...

Sem dúvida um trabalho arrojado, a ambiguidade esta presente na arte como na proposta da doutrina cristã,afinal, é morrendo que se vive para sempre...os últimos serão os primeiros...enfim... nessa cruz eu deito...rsrsrs.