Andy Warhol, católico devoto

do site snpcultura.org

Andy Warhol tornou-se famoso como um dos grandes ícones da arte moderna, nomeadamente a chamada Pop Art.


Menos conhecida é a faceta devotamente cristã de Andy Warhol (EUA, 1928-1987)
.

Uma exposição chamada “Andy Warhol: the last decade”, que se debruça sobre os últimos dez anos da vida do artista, realça este aspecto da sua vida e dá destaque às muitas obras de arte religiosa criadas por Andy.

Entre estas, encontram-se centenas de versões da Última Ceia e um grande painel com 112 retratos de Cristo.



“Só os seus amigos mais próximos sabiam que era um homem religioso que ia frequentemente à missa”, explica Sharon Matt Atkins, uma das responsáveis pela exposição que decorre no museu de Brooklyn.

Andy Warhol pertencia a uma igreja católica de rito oriental, a Igreja Católica Bizantina Rutena, constituída principalmente por europeus do leste de etnia rutena, ou rusyn, como são também conhecidos. Os pais de Warhol emigraram para os Estados Unidos, do que é hoje a Eslováquia, onde se encontra uma significativa população rutena.

Pra saber mais:

A Igreja Católica Bizantina Rutena, ou a Igreja Greco-Católica Rutena, é uma Igreja particular oriental sui juris em comunhão com a Igreja Católica. Isto quer dizer que ela, nunca abandonando as suas veneráveis tradições e ritos litúrgicos orientais, aceita a autoridade e primazia do Papa. Unida formal e oficialmente à Santa Sé em 1646, esta Igreja foi fruto de uma cisão ocorrida na Igreja Ortodoxa.

Atualmente, esta Igreja oriental católica conta com cerca de 600 mil fiéis, concentrados na sua esmagadora maioria nos EUA, na Ucrânia e na República Checa. O seu rito litúrgico é de tradição bizantina.

Nenhum comentário: